Blog do Adriano Roberto


Lula se irrita com equipe e manda apagar postagem

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu uma bronca em sua equipe de colaboradores que, na noite desta quarta (17), publicou na página do petista nas redes sociais fotos do juiz Sergio Moro ao lado de Michel Temer (PMDB) e de Aécio Neves (PSDB-MG).

Os registros foram feitos quando Temer, Aécio e Moro participaram de eventos públicos ao longo dos últimos meses. O petista viu a postagem nesta quinta e determinou que ela fosse removida.

O estrago, porém, já estava feito. Aliados do PT no Congresso sabem que, embora a crise esteja neste momento desabando nas cabeças do PMDB e do PSDB, petistas não devem ser poupados na delação dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista.



Temer se equilibra no Judiciário e no Congresso para ficar
Autor
Adriano Roberto

Temer se equilibra no Judiciário e no Congresso para ficar

Valor Econômico - Em etapa decisiva para sua permanência na Presidência da República, o presidente Michel Temer reuniu-se ontem à noite com a cúpula do PSDB e DEM, os fiadores principais da governabilidade nos próximos dias. Também convocou uma reunião ministerial, com a presença da equipe econômica, para traçar a estratégia da próxima semana, e recebeu dezenas de  deputados em jantar no Palácio da Alvorada. Durante o encontro, o presidente se dedicou a dar explicações contra as acusações que lhe foram dirigidas a partir da delação premiada da cúpula da JBS, segundo relatos de alguns participantes.

O Palácio do Planalto tentou dar um tom informal ao encontro, embora o ministro da secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, tenha disparado convites a ministros, deputados e senadores.A palavra de ordem de Temer aos aliados é cautela, porque o naufrágio será coletivo, já que ministros e líderes da base aliada são igualmente investigados na Lava-Jato. As próximas votações e o julgamento de quarta-feira no Supremo Tribunal Federal serão termômetros da capacidade de reação nos próximos dias.

Encurralado pela colaboração premiada dos executivos - que tem como "bala de prata" o áudio da conversa gravada por Joesley Batista com Temer em sua residência, - o presidente apoia-se em dois movimentos, político e jurídico, para sustentar-se no cargo. Todos os esforços antes voltados para a aprovação das reformas agora convertem-se no esforço de sobrevivência política. 

Auxiliares do presidente asseguram que ele está com "energia, vigor e disposição" para prosseguir com o enfrentamento político. O deputado federal Heráclito Fortes (PSB-PI), que conhece Temer há duas décadas, disse que o aliado "está forte como um touro". Embora a Executiva do PSB tenha pedido a renúncia do pemedebista, Heráclito integra uma ala da legenda - junto com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, - que não deixará o governo. 

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse ao Valor que o ministro e seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), afirmaram a Temer no sábado que ficam no governo, apesar da orientação contrária do partido. Inclusive, Fernando Coelho participou da reunião ministerial deste domingo. 

É fundamental para o Planalto evitar o desembarque do PSDB. O movimento mais veemente de desembarque vem da ala paulista, do governador Geraldo Alckmin, embora o prefeito João Doria defenda a permanência na base.

Por telefone, Temer conversou várias vezes no fim de semana com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No início da crise - quando foi divulgado o áudio da conversa de Temer com Joesley, - o tucano foi a público pedir a renúncia do pemedebista. Depois, em conversas internas, admitiu precipitação.

Agora, a orientação de não fazer nada com afogadilho e muito diálogo pautam a relação dos tucanos com Temer. Ontem o novo presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), e o presidente do DEM, senador José Agripino (RN), também jantaram com Temer, ministros e deputados.



Anexar áudio de Temer sem perícia foi inaceitável diz PF
Autor
Adriano Roberto

Anexar áudio de Temer sem perícia foi inaceitável diz PF

Em nota divulgada neste sábado (20), a APCF (Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais) considerou "inaceitável" que a PGR (Procuradoria Geral da República) tenha anexado o áudio da conversa mantida entre o presidente Michel Temer e o delator Joesley Batista sem uma perícia técnica por peritos federais.

Afirmou ainda que é "temerária" a homologação de acordos de delação premiada "sem a devida análise pericial". Antes de anexar o áudio ao pedido de abertura do inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal), acolhido pelo ministro Edson Fachin, a PGR submeteu o áudio ao setor técnico do órgão, mas não para uma perícia técnica completa na Polícia Federal.

A associação recomendou "o envio imediato" do áudio e do equipamento usado na gravação para uma perícia completa no INC (Instituto Nacional de Criminalística). "Inaceitável que, tendo à disposição a perícia oficial da União, que possui os melhores especialistas forenses em evidências multimídia do país, não se tenha solicitado a necessária análise técnica no material divulgado, permitindo que um evento de grande importância criminal para o país venha a ser apresentado sem a qualificada comprovação científica", diz a APCF.

A associação disse que, "ao se ouvir o áudio, percebe-se a presença de eventos acústicos que precisam passar por análise técnica, especializada e aprofundada, sem a qual não é possível emitir qualquer conclusão acerca da autenticidade da gravação". Desde que a gravação veio a público, nesta quinta-feira (18), surgiram dúvidas sobre a idoneidade do material, pois há sinais perceptíveis de interrupções na conversa. A pedido da Folha de S.Paulo, um perito apontou que houve "edição" no material.

Outro perito, Ricardo Molina, que não fez um laudo sobre o tema, apontou a necessidade de se periciar também o aparelho utilizado na gravação. A reportagem apurou que Joesley Batista não entregou o equipamento utilizado para a gravação. Segundo a revista "Época", ele teria utilizado um equipamento não detectável por aparelho de raio-x, pois tinha medo de ser flagrado na tentativa de gravar o presidente no Palácio do Jaburu.

A PGR não enviou o áudio para a Polícia Federal, segundo a reportagem apurou, porque considerava que essa era uma etapa posterior na investigação, depois de aberto o inquérito, e que eventuais dúvidas poderiam dirimidas ao longo da apuração.

Em nota enviada nesta sexta-feira (19), a PGR informou: "A Procuradoria-Geral da República informou que foi feita uma avaliação técnica da gravação e concluiu que o áudio revela uma conversa lógica e coerente. A gravação anexada ao inquérito do STF é exatamente a entregue pelo colaborador e que sua autenticidade poderá ser verificada no processo". Com informações da Folhapress.





Henrique Meirelles é o que temos para o momento
Autor
Adriano Roberto

Henrique Meirelles é o que temos para o momento

Se a crise política evoluir para a convocação de uma eleição indireta, um nome que ganha força entre parlamentares (e também no mercado claro) é o de Henrique Meirelles. O ministro é visto como opção para dar continuidade às reformas, sem mudança de rumo.

O mercado é absolutamente implacável, e quando começa a se mover em uma direção geralmente provoca o que se chama de efeito manada. E é exatamente isso o que está ocorrendo neste momento em relação à permanência ou não do presidente Michel Temer. 

O nome de Henrique Mei­relles, ex-presidente mundial do Banco de Boston e ex-presidente do Banco Central do Brasil durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, é o único que aparece como provável substituto de Temer, em caso de eleição indireta e teria inclusive a preferência declarada de vários políticos para o cargo. Mas seria ele o melhor player para o jogo duríssimo que se trava para conter os efeitos mais perversos das reformas?

A passagem de Meirelles pelo Banco Central foi coroada pelo êxito. Nos idos de 2002, durante a campanha eleitoral, era fortíssima a desconfiança de amplos setores do mercado de que eventual governo de Lula levaria o país a um radicalismo esquerdista absurdo. 

Ao ponto de o marqueteiro da campanha, e apontado como um dos principais responsáveis pela construção de imagem de um PT menos radical e um “Lulinha paz e amor”, o mago Duda Mendonça, ter escrito um conjunto de princípios que ficou conhecido como ”Carta ao Povo Brasileiro”, onde Lula assegurou que manteria os contratos e não quebraria a ordem natural da economia. Ao contrário, daria prosseguimento à política econômica do presidente Fernando Henrique e corrigiria os pontos negativos.

A única pessoa que discorda e já mostrou que não gosta nada do Meirelles é a ex-presidente Dilma. Mas essa não apita mais nada, em lugar nenhum!



Assista aos vídeos da delação da JBS
Autor
Adriano Roberto

Assista aos vídeos da delação da JBS

O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou nesta sexta-feira os vídeos da delação premiada de sete executivos da JBS, maior produtora de proteína animal do mundo, incluindo os donos da empresa, Joesley e Wesley Batista.

Assista abaixo aos depoimentos dos empresários, que causaram uma hecatombe política em Brasília ao citar o presidente Michel Temer, os ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ministros Gilberto Kassab (PSD) e Marcos Pereira (PRB), o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), José Serra (PSDB-SP) e Marta Suplicy (PMDB-SP), entre outros.

Joesley Batista afirma que a JBS pagou 400 milhões de reais em propina a políticos, entre doações oficiais de campanha e caixa dois.

 

 

 



Autor
Adriano Roberto

"Vou sair dessa crise mais rápido do que se pensa"

O Blog do Gerson Camarotti conversou na noite desta quinta-feira com Michel Temer, depois da divulgação pelo Supremo Tribunal Federal do trecho da gravação que mostra um diálogo entre o empresário Joesley Batista e o presidente. Veja os principais pontos:

>> "Não estou comprando o silêncio de ninguém, isso não é verdade. Os áudios comprovam isso."

>> "Essa é a tese que alicerça esse inquérito, de que eu avalizei a compra do silêncio do Eduardo Cunha. O que alicerça esse inquérito é que ele [Joesley Batista] teria dito que eu teria concordado com a compra do silêncio, o que não existe."

>> "O que ele [Joesley] disse e que eu concordei é que ele estava se dando bem com Eduardo Cunha, por isso falei 'mantenha isso."

>> "Fiquei profundamente agastado com o episódio. Isso é uma irresponsabilidade. Não se pode tratar o país desse jeito. A Bolsa desabou!"
>> "Ninguém chega aqui para me pedir renúncia. Pelo contrário, todos estão pedindo para eu resistir. Vou resistir. Se precisar, vou fazer outro pronunciamento amanhã. Vou sair dessa crise mais rápido do que se pensa."

>> "A montanha pariu um rato."



JBS: nesta sexta é dia de Lula, Dilma, Renan e Serra
Autor
Adriano Roberto

JBS: nesta sexta é dia de Lula, Dilma, Renan e Serra

Por Eliane Cantanhêde 

A teia da JBS e o poder dos irmãos Joesley e Wesley Batista foram muito além do que foi divulgado até agora. Vão explodir amanhã, sexta-feira, delações que atingem mortalmente, pela ordem, os ex-presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (PT), o ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) e o ex-chanceler e ex-presidenciável José Serra (PSDB). Os valores são de tirar o fôlego e surgirão nomes que até aqui vinham passando ilesos.

Quem teve informações sobre o material informa que os tentáculos do grupo JBS não ficam a dever nada aos da Odebrecht, mas com uma diferença: o dono e os executivos da empreiteira decidiram fazer delação premiada depois de presos, já com capacidade limitado de produzir novas provas tão contundentes. Já os irmãos Batista estão há meses gravando seus interlocutores e pautando os monitoramentos da Polícia Federal.

O resultado é considerado devastador e arrasta para o fundo do poço não apenas o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, pelas gravações liberadas  à noite nesta quinta-feira, mas o próprio mundo político. Esta sexta-feira será mais um novo dia para nunca ser esquecido na história brasileira.



Se Temer cair, quem assume a Presidência?
Autor
Adriano Roberto

Se Temer cair, quem assume a Presidência?

Após a revelação dos delatores Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, de que o presidente Michel Temer teria dado aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha, a situação ficou ainda mais tensa na política brasileira. 

Oposição e até aliados do peemedebista pedem a renúncia de Temer. Confira algumas respostas para entender o que pode acontecer caso Temer deixe o cargo. 

O QUE ACONTECE SE MICHEL TEMER DEIXAR A PRESIDÊNCIA? 

Nos dois anos finais do mandato, a Constituição prevê eleição indireta em caso de dupla vacância, ou seja, queda do presidente e do vice por renúncia, afastamento ou morte. QUEM ASSUMIRIA? O primeiro na linha sucessória é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) -depois vêm o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e a do STF, Cármen Lúcia. Maia teria 30 dias para convocar uma eleição indireta. 

QUEM ELEGERIA? 

Os 513 deputados e 81 senadores, em sessão bicameral, com voto aberto e peso igual para todos. 

QUEM PODERIA SE CANDIDATAR? 

A Constituição não especifica se as regras de elegibilidade (ser brasileiro, ter 35 anos ou mais, filiado a um partido etc.) se aplicam num pleito indireto. Alguns especialistas defendem que se siga o roteiro geral. Outros, que essas normas não valem aqui. Caberia ao Congresso definir. 

MAGISTRADOS PODERIAM VIRAR PRESIDENTE? 

Para a turma que aponta buracos na Constituição sobre quem é elegível, sim. Numa eleição direita, só pode se candidatar quem se descompatibilizar do cargo seis meses antes do pleito. 

DIRETAS JÁ É ALGO POSSÍVEL? 

Seria preciso aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para alterar as atuais regras do jogo. Já há iniciativa afim no Congresso, de Miro Teixeira (Rede-RJ). 

TEMER PODE SER DENUNCIADO? 

Sim, se a Procuradoria-Geral entender que houve crime no mandato atual. Mas a denúncia só chegaria ao STF com autorização de dois terços da Câmara (crimes de responsabilidade, caso de Dilma, também passam pelo Senado). O rito não é ágil. Com informações da Folhapress.

Este blogueiro pessoalmente gostaria que o SFT apressasse os processos envolvendo, Rodrigo Maia (Pres. da Câmara) e Eunício Oliveira (Pres. do Senado). Assim, uma vez aceitas as denúncias contra eles no âmbito da Lava Jato, a sucessão ficaria nas mãos da Presidente do STF, Carmem Lúcia. Até uma nova eleição.



STF determinou afastamento de Aécio Neves e Rocha Loures
Autor
Adriano Roberto

STF determinou afastamento de Aécio Neves e Rocha Loures

O STF determinou o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato de senador e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) do mandato de deputado federal.



PF faz operação em 5 Estados contra corrupção na Agricultura
Autor
Adriano Roberto

PF faz operação em 5 Estados contra corrupção na Agricultura

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira a Operação Lucas, para desarticular um esquema de corrupção envolvendo servidores do Ministério da Agricultura e empresas do setor agropecuário fiscalizadas pela pasta.

Os agentes cumprem 62 mandados judiciais em cinco estados: Tocantins, Pará, Maranhão, São Paulo e Pernambuco. São 10 mandados de prisão temporária, 16 de condução coercitiva e 36 de busca e apreensão.

A investigação começou após denúncia de que frigoríficos e empresas de laticínios fiscalizadas teriam sido favorecidos em processos administrativos, por meio do retardamento na tramitação e anulação de multas.

A PF apurou, por meio de quebras de sigilos fiscal e bancário, que a chefe de fiscalização do Mapa, à época dos fatos, recebia de empresas fiscalizadas valores mensais para custear despesas familiares. Apenas em sua conta pessoal a investigação identificou a diferença de mais de 200% do declarado em seu Imposto de Renda. Também foi detectado que o esquema criminoso movimentou cerca de R$ 3 milhões, entre os anos de 2010 a 2016.

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, cujas penas podem chegar a 12 anos de reclusão.

O nome da operação faz referência à passagem Bíblica do livro de Lucas que diz: "Não peçais mais do que o que vos está ordenado" e "A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo". Com informações do Estadão Conteúdo.

Estive pesquisando do porque se deu no Operação Lucas, e segundo a PF, faz referência ao livro do Evangelho de Lucas, capítulo 3, nos versículos 12 a 14. A palavra de Deus diz assim:

12 E chegaram também uns publicanos, para serem batizados, e disseram-lhe: Mestre, que devemos fazer?
13 E ele lhes disse: Não peçais mais do que o que vos está ordenado.
14 E uns soldados o interrogaram também, dizendo: E nós que faremos? E ele lhes disse: A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo.


Moradores de Olinda protestam contra aumento dos vereados
Autor
Adriano Roberto

Moradores de Olinda protestam contra aumento dos vereados

O Movimento Olinda Imortal - MOI fará protesto em frente à Câmara de Vereadores, a partir das 9h desta terça-feira, 16, contra o aumento de 80% na verba de representação do presidente da Câmara Municipal, Jorge Federal.

Aprovado na semana passada, o projeto que ainda propunha reajuste no salário de todos os vereadores, aguarda o veto ou a sanção do prefeito Professor Lupércio.

Surgido da indignação de moradores de Olinda com a projeto de lei, o MOI tem realizado abaixo assinado que será protocolado junto ao Ministério Público para barrar o que consideram um abuso.

Redes Sociais

Últimos Posts

Apoio


  • Ponto de Vista AO VIVO
  • Blog Edmar Lyra

  • Digite Google

Siga-me no Facebook