Blog do Adriano Roberto


Nova Mesa Diretora da Câmara de Olinda toma posse
Autor
Adriano Roberto

Nova Mesa Diretora da Câmara de Olinda toma posse

Eleita para o Biênio 2019/2020, a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Olinda toma posse, na terça-feira (1º. de janeiro), às 16 horas, tendo como presidente reeleito o vereador Jorge Federal.

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Olinda ficou assim composta: Jorge Federal (presidente), Márcio Barbosa (primeiro vice-presidente), Vlademir Labanca (segundo vice-presidente), Algério Nossa Voz (primeiro secretário) e Saulo Holanda (segundo secretário).



Sassepe na berlinda para melhorar atendimento
Autor
Adriano Roberto

Sassepe na berlinda para melhorar atendimento

O Fórum dos Servidores Estaduais, coordenado pela CUT-PE, entregou no último dia 21 de dezembro ofício ao Governo do Estado, solicitando reunião para discutir o Sistema de Saúde. 

Ainda na quarta-feira passada (26/12), o Fórum esteve reunido para avaliar a situação do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Pernambuco (Sassepe). 

Entre as reivindicações, o Fórum solicita que 30% do pagamento que os servidores fazem com o 13º seja destinado a investimento na rede própria do Sistema de Saúde.

A avaliação é que para sanar o SASSEPE, melhorar a qualidade do serviço e dar vida longa ao Sistema de Saúde é fundamental fortalecer o Hospital dos Servidores Estaduais (HSE), em Recife, bem como as clínicas e agências do interior do Estado. 

O Sistema atende a 178.000 vidas e um problema mais sério poderia afetar o SUS, com esse recebendo os usuários do SASSEPE mas sem receber as contribuições dos usuários



Bolsonaro é o novo presidente do Brasil
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro é o novo presidente do Brasil

Jair Bolsonaro (PSL) foi empossado como o novo presidente da República do Brasil. As solenidades de posse foram realizadas no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira (1º).

Bolsonaro é o primeiro militar eleito presidente democraticamente e o 38º presidente eleito da história do país. Ele recebeu 57,8 milhões de votos no 2º turno.

Acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, o militar deixou a Granja do Torto por volta das 14h20 desta terça-feira (1º). Eles foram saudados com gritos de "Mito" e "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos" (slogan da campanha) dos presentes.

Solenidade no Congresso Nacional

A sessão de posse de Bolsonaro foi aberta pouco depois das 15h pelo senador Eunício Oliveira, que preside a Casa. 

Em breve discurso - com cerca de 10 minutos, o novo presidente do Brasil agradeceu aos presentes e também a Deus, que, segundo ele por meio das mãos dos médicos da Santa Casa de Juiz de Fora (MG), "operaram um verdadeiro milagre" - em referência ao ataque a faca sofrido durante campanha.

Bolsonaro se disse fortalecido  e aproveitou para convocar os congressistas para reerguer o Brasil e resgatar a esperança dos brasileiros.

Temos uma oportunidade única de reconstruir o nosso país."

O presidente afirmou ter montado uma equipe técnica, "sem o tradicional viés político", que teria culminado em corrupção.

Sobre a economia, ele disse que o governo não vai gastar mais do que arrecada e que fará "reformas estruturantes".

Bolsonaro voltou a afirmar que "o Brasil será livre das amarras ideológicas". Ele também prometeu respeitar todas as religiões e as "tradições judaico-cristãs". O novo presidente falou ainda em "valorizar a família" e em "combater a ideologia de gênero".

Ao abordar o tema educação, o presidente reafirmou que as escolas vão preparar os jovens "para o mercado de trabalho e não para a militância política".

Em referência aos policias, ele prometeu valorizar os que "sacrificam suas vidas" para garantir a segurança de todos.

Bolsonaro concluiu o seu discurso com o seu famoso slogan de campanha: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

Na sequência, Eunício também discursou. A sua fala teve um tom de despedida, visto que ele não se reelegeu para o cargo de senador.

Após a solenidade no Congresso, Bolsonaro seguiu para o gabinete de Eunício. Na saída, houve nova exibição do Hino Nacional e os tradicionais 21 tiros de canhão.

Bolsonaro ainda passou em revista às tropas do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, enquanto aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) sobrevoavam o local.

No Palácio do Planalto

Aos gritos de "Ô, o capitão chegou", vindos de eleitores que foram prestigiar a posse, o presidente seguiu com o cortejo para o Palácio do Planalto, onde recebeu a faixa presidencial das mãos do ex-presidente Michel Temer.

A primeira-dama fez um discurso de agradecimento em libras, o que foi considerado um dos principais diferenciais da solenidade. Michelle afirmou ser um privilégio poder trabalhar pelos que precisam e agradeceu a todos os brasileiros que oraram pelo seu marido após o atentado.

Em seguida, Bolsonaro iniciou um novo discurso, desta vez diretamente para os eleitores, afirmando que "servir a pátria como chefe do executivo" "não tem preço" e que "isso só está sendo possível porque Deus preservou a minha vida e vocês acreditaram em mim".

O presidente afirmou que hoje é "o dia em que o povo começou a se libertar do socialismo", do "gigantismo estatal" e do "politicamente correto". "Vamos colocar em prática o projeto que a maioria do povo brasileiro democraticamente escolheu", completou.

Temos uma grande nação para reconstruir, e isso faremos juntos. Os primeiros passos já foram dados. Graças a vocês eu fui eleito com a campanha mais barata da história."

Bolsonaro fala em combater "ideologias nefastas" e em "reestabelecer padrões éticos e morais", combater "ideologias nefastas" e "reestabelecer padrões éticos e morais".

O brasileiro pode e deve sonhar. Sonhar com uma vida melhor, com melhores condições de usufruir do fruto de seu trabalho pela meritocracia."

"Agradeço a Deus por estar vivo e a vocês que oraram por mim e por minha saúde nos momentos mais difíceis", disse Bolsonaro, que concluiu o discurso novamente com o slogan da campanha: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". Os presentes respondem com gritos de "mito".

Pouco antes de se retirar, Bolsonaro mostra uma bandeira do Brasil e diz: "Essa é a nossa bandeira, que jamais será vermelha. Só será vermelha se tiver o nosso sangue para manter ela verde e amarela", quando é fortemente aplaudido.

O que acontece depois

O presidente dirigiu-se para dentro do Palácio do Planalto, onde recebeu autoridades internacionais. Posteriormente, serão empossados os 22 ministros do primeiro escalão do novo governo.





Férias até dia 02 de janeiro de 2019


Férias até dia 02 de janeiro de 2019


Morre mãe de Dr. Valdir em Vertente do Lério

Bom dia Adriano. Faleceu ontem, em Vertente do Lério, aos 97 anos, Maria José de França (Dona Liquinha) a mãe do Deputado Estadual Dr Valdi. O sepultamento será às 12 horas em Vertente do Lério. Grato pela atenção:

Hermanes Sales,

assessor do Deputado Dr Valdi.



Chegou edital da UFPE, 166 vagas, R$ 4 mil, provas em agosto
Autor
Adriano Roberto

Chegou edital da UFPE, 166 vagas, R$ 4 mil, provas em agosto

Foi divulgado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 21 de dezembro, o edital do concurso da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Os salários variam entre R$ 1.945,07 e R$ 4.180,66 para cargos de níveis médio, técnico e superior.

São ofertadas cerca de 166 vagas em funções técnico-administrativas em educação e outras áreas. 
Há oportunidades para candidatos de diversos níveis de escolaridade e em diversas áreas, sendo as lotações nas seguintes cidades: Recife, Vitória de Santo Antão e Caruaru.

O candidato que deseja participar do certame deve entrar no site da Universidade Federal de Pernambuco entre os dias 16 de abril a 19 de maio de 2019 e garantir a inscrição. 
O valor da taxa fixada é de R$ 78,00 para cargos de níveis médio e técnico e de R$ 125,00 para os de nível superior.

Cargos

Listamos o quantitativo de vagas com relação aos cargos que estão sendo ofertadas pelo concurso UFPE. 
Além disso, disponibilizamos o quadro com as devidas disciplinas para cada cargo e número de questões. Confira abaixo;

Nível Médio

Administrador de Edifícios (2)
Assistente em Administração (85)

Nível Técnico

Desenhista de Artes Gráficas (4)
Técnico de Laboratório/Biologia (5)
Técnico de Laboratório/Nutrição e Dietética (1)
Técnico de Laboratório/Química (4)
Técnico de Tecnologia da Informação/Sistemas (5)
Técnico em Artes Gráficas (1)
Técnico em Contabilidade (21)
Técnico em Eletrotécnica (1)
Técnico em Mecânica (1)
Técnico em Radiologia (1) 
Técnico em Enfermagem (2)

Nível Superior

Administrador (3)
Analista de Tecnologia da Informação/Sistemas (2)
Arquiteto e Urbanista (7)
Assistente Social (3)
Diretor de Produção (1)
Economista (2)
Engenheiro Ambiental (1)
Engenheiro Elétrico (1)
Engenheiro Mecânico (1)
Médico Cardiologista (2)
Médico Clínica Médica (1)
Médica Psiquiatra (2)
Químico (1)
Sanitarista (1)
Psicólogo (2)
Tecnólogo/Segurança Privada (1)
Biomédico (1)
Enfermeiro (1)

Etapas

O concurso será regido por apenas uma única etapa, sendo composta de prova objetiva a ser realizada no dia 18 de agosto. Já para o cargo de Assistente em Administração, 
*as provas mesmas serão aplicadas no dia 25 de agosto de 2019.*

Os locais de exames serão divulgados pela própria Universidade Federal de Pernambuco e publicados em breve no nosso site. Já os gabaritos preliminares serão informados nos dias 19 e 26 de agosto de 2019. informação de Stenberg Lima.

         



Flagra no clic de Ribamar mostra alpinista limpando vidraça no Recife
Autor
Adriano Roberto

Flagra no clic de Ribamar mostra alpinista limpando vidraça no Recife

 

Todos no clima de Natal e muita gente trabalhando duro! Veja nesse flagrante registrado pelo meu amigo Riba:

Edf. Charles Darwin- Recife
Alpinista-industrial lavando a parede vidro.
Foto: Ribamar B. Filho

Esperamos o contato para identificação do amigo alpinista pelo ZAP 8196526565.



PF faz buscas ligadas ao advogado do esfaqueador de Bolsonaro
Autor
Adriano Roberto

PF faz buscas ligadas ao advogado do esfaqueador de Bolsonaro

Dois mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Federal de Minas Gerais, nesta sexta-feira (21), no escritório e em uma empresa do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior. Ele é o responsável pela defesa de Adélio Bispo, que esfaqueou Jair Bolsonaro (PSL) durante ato de campanha em Juíz de Fora, no dia 6 de setembro.

O objetivo da operação é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor do atentado, afirmou o delegado Rodrigo Morais, que coordena as investigações da PF. Atualmente, Bispo, indiciado por prática de atentado pessoal por inconformismo político, crime previsto na Lei de Segurança Nacional, está preso em penitenciária federal em Campo Grande.

De acordo com o G1, também está sendo investigada a possibilidade de Adélio não ter agido sozinho. Um segundo inquérito foi aberto com a missão de comprovar “participação de terceiros ou grupos criminosos” no atentado ao político fora do local do crime.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ataque a Bolsonaro

O então candidato à Presidência Jair Bolsonaro levou uma facada na tarde do dia 6 de setembro durante um ato de campanha em Juiz de Fora, no sul de Minas Gerais. Ele se submeteu à primeira cirurgia no dia do ocorrido e sofreu três perfurações no intestino delgado e uma no intestino grosso. Foi feita uma colostomia para isolar as áreas lesionadas da passagem de fezes, diminuindo, assim, o risco de infecções. Em 12 de setembro, ele passou por uma segunda cirurgia. A terceira está marcada para o dia 28 de janeiro.



Denunciado, Temer deve ter mais 5 investigações ao deixar o Planalto
Autor
Adriano Roberto

Denunciado, Temer deve ter mais 5 investigações ao deixar o Planalto

A apuração sobre o decreto dos portos que resultou na denúncia apresentada ao STF (Supremo Tribunal Federal) na quarta (19) encontrou indícios de outros cinco crimes envolvendo o presidente Michel Temer (MDB). Com isso, ao deixar o Planalto, o emedebista deverá enfrentar na primeira instância da Justiça quatro investigações em fase avançada e mais cinco novos inquéritos.

As cinco novas suspeitas descritas pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, referentes a fatos de 2010 a 2015, não integraram a denúncia porque são anteriores ao atual mandato presidencial, iniciado em 2016. Caberá a um procurador que atua na primeira instância analisá-las para eventualmente oferecer novas denúncias.

Das 5 novas apurações, 3 têm a Argeplan Arquitetura e Engenharia como peça central. A PGR (Procuradoria-Geral da República) sustenta que a empresa, que aparece na denúncia por portos como intermediária de propina e que tem como um de seus sócios o coronel João Baptista Lima Filho, pertence de fato ao presidente.Lima e Temer são amigos desde os anos 80. A Argeplan ganhou impulso naquela década com contratos de consultoria com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. À época, Temer era o titular da pasta.

Um dos pedidos de abertura de inquérito envolve um contrato milionário da Eletronuclear para a construção da usina de Angra 3 que foi paralisado devido a suspeitas levantadas pela Lava Jato. O contrato, de R$ 162 milhões, foi firmado pela multinacional AF Consult, que subcontratou a AF Consult do Brasil, que por sua vez tem a Argeplan em seu quadro societário.

Ao lado da Argeplan, a empreiteira Engevix também foi subcontratada para a obra. Em 2016, um dos donos da Engevix, José Antunes Sobrinho, tentou, sem sucesso, fechar um acordo de delação com o Ministério Público relatando que o coronel Lima cobrou dele R$ 1 milhão para a campanha de Temer em 2014.

Dodge requereu que a apuração desse caso seja feita perante a 7ª Vara Criminal da Justiça Federal no Rio, sob responsabilidade do juiz Marcelo Bretas, onde outros processos sobre a Eletronuclear já tramitaram.

A Argeplan também é suspeita de superfaturar e deixar de prestar serviços para os quais foi contratada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, por meio do consórcio Argeplan/Concremat.

A terceira nova apuração envolve contrato celebrado entre a empresa e a Fibria Celulose, que opera no porto de Santos, com valores em torno de R$ 15,5 milhões. Dodge solicitou que se investigue também, no mesmo procedimento, transações financeiras entre a Construbase Engenharia e a PDA, a outra empresa do coronel.

A Construbase repassou à PDA, de setembro de 2010 a agosto de 2015, R$ 17,7 milhões, por meio de 58 transferências. A empresa do coronel, segundo a Procuradoria, "consta por diversas vezes em relatórios do Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras], como responsável por movimentações atípicas".

Na quarta frente de apuração a ser aberta, Dodge apontou suspeitas de que uma das filhas do presidente, Maristela Temer, tenha praticado o crime de lavagem de dinheiro por meio de uma reforma em sua casa, em São Paulo.

Conforme a Folha de S.Paulo revelou em abril deste ano, a mulher do coronel, Maria Rita Fratezi, pagou em dinheiro vivo despesas da obra, segundo relatos de fornecedores de materiais de construção.

Dodge considerou que a suspeita de que a obra tenha sido paga com dinheiro de propina "não guarda intrínseca relação" com o suposto crime de corrupção denunciado no âmbito do inquérito dos portos, e requereu uma investigação específica a ser feita perante a Justiça Federal em São Paulo.

A quinta nova investigação solicitada pela Procuradoria é sobre um suposto contrato fictício assinado a pretexto de prestação de serviços no terminal Pérola, no porto de Santos. A empresa faz parte do grupo Rodrimar, que teve um sócio e um ex-executivo denunciado junto com Temer na quarta-feira.

O pedido de abertura de novas investigações foi direcionado ao ministro do STF Luís Roberto Barroso, relator do inquérito dos portos, por meio de um documento que acompanhou a denúncia apresentada na quarta contra Temer e outras cinco pessoas, entre elas o coronel Lima e o ex-assessor presidencial Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR).

A denúncia, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro, apontou uma movimentação financeira indevida de R$ 32,6 milhões como parte de um esquema antigo com informações e provas reunidas que remontam a 1998.

Dodge pediu que a denúncia seja remetida, em janeiro, quando Temer perde o foro especial, à Justiça Federal no Distrito Federal, para onde também deverão seguir duas denúncias apresentadas em 2017 pelo ex-procurador-geral Rodrigo Janot -os casos foram suspensos pela Câmara no ano passado.

OUTRO LADO

Procurado por meio de sua assessoria, o presidente Michel Temer informou que "provará, nos autos judiciais, que não houve nenhuma irregularidade no decreto dos portos, nem benefício ilícito a nenhuma empresa". O Planalto não comentou as novas frentes de investigação.A Rodrimar afirmou em nota que os executivos denunciados estão afastados e que se pauta pelos mais elevados padrões de governança corporativa. A reportagem não localizou a defesa do coronel Lima. Com informações da Folhapress.



Terra pensa em diminuir venda de bebida alcoólica em locais violentos
Autor
Adriano Roberto

Terra pensa em diminuir venda de bebida alcoólica em locais violentos

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que será ministro da Cidadania no governo Jair Bolsonaro, quer impor novas regras para o consumo de bebida alcoólica no Brasil.

Em entrevista ao jornal “O Globo” publicada nesta sexta-feira (21), ele, que tem 68 anos e é totalmente contra o uso de drogas, incluindo bebidas alcoólicas, confirmou que está discutindo um projeto para regular o horário de venda destes produtos no país. A ideia ganhou força após uma visita que o futuro ministro fez a Islândia.

“Eles têm circunstâncias diferentes. Não deixam expor bebidas alcoólicas em nenhum lugar, têm um toque de recolher. Depois das 22h, jovens com menos de 18 anos não podem andar sozinhos na rua. Claro que é uma realidade bem diferente. 

Mas aqui, por exemplo, se reduzir o horário de venda de bebidas alcoólicas em restaurante, em bar, é uma coisa que se pode pensar. Podemos fazer junto com o Moro, na Justiça, uma política de redução da violência”, começou Osmar Terra, antes de reafirmar que a ideia é limitar o horário de venda de bebidas no Brasil.

“Sim. A maior parte dos acidentes e mortes causadas por pessoas embriagadas acontecem sempre depois da meia-noite. Acho que podemos colocar alguns limites para venda de bebidas em lugares mais violentos. Não precisa ser em todo o país. Dá para mapear a violência. Há lugares que têm mais homicídios. 

A experiência de Diadema (SP) está publicada em livros. Reduziu muito o número de homicídios. Era a cidade que mais tinha homicídios em São Paulo e hoje é das que têm menos. A bebida ajuda, né. Diadema colocou até meia-noite, uma da manhã o limite. Depois disso, não se pode vender”, afirmou.

Segundo o futuro ministro, ele e Bolsonaro já conversam sobre o assunto.

“É, a gente está conversando sobre isso. Um projeto integrado com a Justiça. É um assunto que estamos discutindo, mas ainda não tomamos nenhuma decisão a respeito”, acrescentou.