Blog do Adriano Roberto


Brasília recebe Encontro e Feira dos Povos do Cerrado
Autor
Adriano Roberto

Brasília recebe Encontro e Feira dos Povos do Cerrado

Na semana em que se celebra o Dia Mundial do Cerrado, Brasília recebe o 9º Encontro e Feira dos Povos do Cerrado. Um momento para discutir políticas públicas e comercializar produtos regionais.

O evento começou na quarta-feira(11) e vai até sábado (14) no Complexo Cultural da Funarte. O tema desta edição é “Pelo Cerrado Vivo: diversidades, territórios e democracia”.

No primeiro dia do encontro, foi entregue uma petição aos parlamentares da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados. A iniciativa recolheu mais de meio milhão de assinaturas em prol da PEC 504/2010. A proposta pede que os biomas Cerrado e Caatinga se transformem em Patrimônio Nacional. Segundo a Constituição Federal, a Amazônia, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal e a Zona Costeira são Patrimônio Nacional.

“Nossa Constituição tem uma falha grave em não considerar o Cerrado e a Caatinga como Patrimônio Nacional. Todos os biomas são interligados, todos os biomas possuem um papel fundamental para a geração de água, a biodiversidade e na provisão de serviços ecossistêmicos”, diz a coordenadora do programa Cerrado e Caatinga, do Instituto Sociedade, População e Natureza do Rede Cerrado, Isabel Figueredo.

O 9º Encontro e Feira dos Povos do Cerrado conta com programação cultural, gastronômica, além de debates e oficinas. Confira a programação completa!

O evento é aberto ao público e gratuito. As oficinas serão realizadas pela manhã e tarde. A partir das 17h, o público terá acesso as 25 barracas de produtos da agricultura familiar como farinha de babaçu, bolos de baru e doces de buriti. Há ainda, biojóias de capim dourado, artesanato indígena e apresentações culturais como bumba meu boi, jongo, coco, forró, maracatu e cordel.



Turismo da bala: secretário é barrado em aeroporto por carregar projétil em bagagem
Autor
Adriano Roberto

Turismo da bala: secretário é barrado em aeroporto por carregar projétil em bagagem

Do O Globo - O secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, passou por maus bocados em uma viagem de Recife para Petrolina, no mês passado. Ao cruzar o raio-x do aeroporto para embarcar, o aparelho detectou uma bala de pistola em sua bagagem. Novaes foi parado e quase perdeu o voo, mas acabou liberado quando a polícia do aeroporto averiguou que ele tem porte de arma. O secretário conseguiu chegar a tempo para o evento que participou em Petrolina com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).


Nena Cabral traça cenário político atualizado de Paulista
Autor
Adriano Roberto

Nena Cabral traça cenário político atualizado de Paulista

Em 2020, serão 16 anos da administração do PSB frente à Prefeitura de Paulista. Primeiramente, Yves Ribeiro, que cumpriu mandato entre 2005 e 2012 e na sucessão, o atual prefeito da cidade, Júnior Matuto.

A administração de Yves atingiu 49,2% de reprovação. Enquanto Júnior Matuto enfrenta uma rejeição que supera os 80% e encontra dificuldades para definir um nome forte para manter a hegemonia do partido na cidade. Um sentimento de insatisfação e a necessidade de novos tempos predominam em grande parte da população.

O caminho desfavorável força o atual prefeito a se articular politicamente para diminuir ao máximo o número de candidaturas concorrentes. As eleições de 2020 terão um cenário inédito: com mais de 200 mil eleitores, a cidade tera segundo turno pela primeira vez na história.

O PSB precisa então ter 50% mais 1 voto,para se manter no poder, já no primeiro turno. Despontam como possíveis candidatos à disputa eleitoral em 2020, o ex-prefeitos Yves Ribeiro, Nena Cabral, Francisco Padilha, Severino Ramos e Alemão.



OAB apresenta denúncia na ONU contra o retrocesso político brasileiro
Autor
Adriano Roberto

OAB apresenta denúncia na ONU contra o retrocesso político brasileiro

A Ordem dos Advogados do Brasil denuncia nas Nações Unidas o que qualifica de “retrocesso político” brasileiro. Um documento criticando o governo de Jair Bolsonaro será entregue na Comissão de Direitos Humanos da ONU por representantes da OAB nesta quarta-feira (11).

A Ordem dos Advogados do Brasil decidiu utilizar seu espaço de foro consultivo na Comissão de Direitos Humanos da ONU para chamar a atenção para a situação atual brasileira. A entidade vai entregar ao relator da Comissão de Direitos Humanos um documento sintetizando “desvios antidemocráticos” sob forma de denúncia para conhecimento da comunidade internacional.
Segundo Hélio Leitão, presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, encarregado de entregar o documento, o Brasil assiste a uma espécie de “revisionismo ou negacionismo histórico”.

Nessa terça-feira (10), foi organizado um encontro paralelo, aberto aos outros países e à imprensa internacional para divulgar a iniciativa. Esse evento, embora já programado, coincide com o recente ataque de Jair Bolsonaro à Alta Comissária dos Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, no qual o presidente brasileiro também evocou o ditador chileno Augusto Pinochet. O episódio provocou reações em vários países. No Brasil, a OAB e o Instituto Vladimir Herzog alegaram que os comentários de Bolsonaro eram uma apologia à ditadura chilena.

O documento entregue em Genebra não é um pedido de processo, e sim uma denúncia que será acrescentada às irregularidades já mencionadas pela Alta comissária no seu relatório sobre a situação brasileira. Como o Brasil é candidato à reeleição como membro da direção da Comissão de Direitos Humanos, a iniciativa pode isolar o país, reforçando o número de nações contrárias à sua escolha.

Mudança de posição brasileira na ONU

Desde a chegada de Bolsonaro ao poder, o Brasil vem registrando uma mudança de posição na ONU. O país deixou de apoiar a igualdade entre os sexos, rejeita textos que referem aos homossexuais, transexuais ou bissexuais, e adotou uma postura conservadora sintetizada na promoção da família.

Brasília, que antes de Bolsonaro votava sempre com os países democráticos europeus na ONU, apoiou indiretamente o governo de extrema-direita das Filipinas, deixando de votar no pedido de abertura de investigações sobre execuções extrajudiciais pelo governo filipino.

O Brasil também apoiou ao governo militar egípcio e o Iraque num pedido de exclusão de um texto da ONU sobre o direito à saúde sexual e reprodutiva das mulheres. Nessa mesma linha, as autoridades brasileiras apoiaram ainda a proposta paquistanesa de se retirar a menção relativa à educação sexual numa resolução da ONU.



Venezuela manda militares para fronteira, Colômbia entra em alerta
Autor
Adriano Roberto

Venezuela manda militares para fronteira, Colômbia entra em alerta

Tanques de guerra, caminhões carregados de mísseis e soldados venezuelanos foram vistos nesta terça (10) de passagem pelo aeroporto de La Fría, rumo à fronteira com a Colômbia.

A ditadura de Nicolás Maduro mobilizou cerca de 150 mil homens para exercícios militares na região sob o pretexto de eventual interceptação de uma invasão estrangeira, embora não haja ameaça por parte dos países vizinhos.

A ação, que será iniciada nesta quarta (11) e deverá se estender até o dia 28, é uma resposta de Maduro à crescente tensão entre Caracas e Bogotá.

No meio da tarde, Maduro mostrou, em seu Twitter, que havia se reunido com os principais comandantes das Forças Armadas para decidir uma reação contra uma possível agressão colombiana.

Diante do Conselho de Defesa da Nação, formado por ministros relacionados à área de segurança e comandantes das Forças Armadas, Maduro falou de "conjuntura de ameaça real de violência, de conflito armado e de ataque por parte do governo da Colômbia". Numa das publicações, o ditador aparece sobre um tanque com outros soldados, todos em uniformes militares.

A vice-presidente colombiana, Marta Lucía Ramírez, à rádio local, disse que seu país não cairá em provocações diante do início das operações militares venezuelanas. A tensão entre os países cresceu após a divulgação de documentos obtidos pela revista Semana, da Colômbia. Segundo os papéis, a ditadura venezuelana tem dado proteção e apoio a guerrilheiros e dissidentes de guerrilhas colombianas em seu território.

O regime de Maduro negou nesta segunda (9) ter envolvimento com insurgentes colombianos e afirmou que novas acusações publicadas na imprensa do país vizinho são uma desculpa para justificar uma intervenção militar contra Caracas.

O ministro de Comunicação da Venezuela, Jorge Rodríguez, classificou como notícia falsa os documentos.Os papéis mostram que Maduro não apenas tem conhecimento da presença de guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional e de dissidentes das antigas Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, desmobilizadas em 2016), na Venezuela, como também fornece apoio a eles.



Maia cobra que governo envie reformas tributária e administrativa
Autor
Adriano Roberto

Maia cobra que governo envie reformas tributária e administrativa

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira, 10, que se o governo quiser participar da discussão da reforma tributária tem de fazê-lo oficialmente, por meio de uma proposta encaminhada ao Congresso. Segundo ele, seria "estranho" o governo não ter uma proposta de reforma de simplificação dos impostos.

Maia negou que tenha feito um acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para a tramitação da reforma tributária e do Pacto Federativo no Congresso. Disse que os senadores podem votar a proposta de reforma que tramita no Senado, mas lembrou que, pela Constituição, a proposta enviada pelo governo tem de começar a tramitar pela Câmara dos Deputados. "Não tem como fazer o Senado protagonista nessa agenda", afirmou.

Já a proposta do Pacto Federativo, que será por meio de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), Maia afirmou que poderia ser apresentada por um senador. O presidente da Câmara disse que a apresentação da proposta do Pacto Federativo pelo governo está atrasada. Segundo Maia, o compromisso era que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, apresentaria a proposta para tirar as "amarras" do Orçamento.

"Na reforma tributária não teve nenhum tipo de acordo, como alguns senadores estão dizendo", afirmou Maia, que esteve reunido na noite desta terça-feira, 10, com Guedes. Para o deputado, o conceito da reforma tributária das duas propostas que estão no Congresso não é muito distante na questão do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), o novo imposto que seria criado com a fusão dos atuais. "A questão é saber se separa Estados e municípios da União", ressaltou.

Reforma Administrativa

O presidente da Câmara informou que alertou Guedes que a proposta de reforma administrativa só pode ser apresentada pelo Executivo à Câmara. Entre os pontos da reforma está o fim da estabilidade dos servidores públicos, a redução do número de carreiras e a diminuição dos salários iniciais dos servidores para um patamar mais próximo ao da iniciativa privada.

Maia insistiu que essa proposta é essencial e até mesmo ponderou que ela pode ser mais importante do que a PEC que muda a regra de ouro (que proíbe o governo de se financiar para pagar gastos correntes) que tramita atualmente na Câmara. Maia admitiu que vê risco de a PEC da regra de ouro abrir caminho para mudanças em outra regra, a do teto de gastos (que atrela o crescimento das despesas à variação da inflação). O deputado é contrário a mexer no teto de gastos.

Cessão Onerosa e Lei Kandir

O presidente da Câmara também disse que conversou com o ministro sobre o cronograma de votação da PEC que abrirá caminho para o megaleilão de petróleo do pré-sal. A expectativa é que a proposta esteja pronta para votação em primeiro turno no dia 5 de novembro.

O segundo turno ocorreria logo em seguida, segundo Maia, a tempo do leilão ocorrer esse ano. "É importante que possamos avançar", disse. Uma das ideias em estudo é incluir na PEC a transferência de R$ 4 bilhões para compensar Estados e municípios exportadores pela desoneração da Lei Kandir.



Filho do ex-senador Edison Lobão é preso na Lava Jato
Autor
Adriano Roberto

Filho do ex-senador Edison Lobão é preso na Lava Jato

Policiais federais prenderam hoje (10) Márcio Lobão, filho do ex-senador Edison Lobão, do Maranhão, na 65ª fase da Operação Lava Jato. Márcio e o ex-senador são suspeitos de envolvimento em esquemas de corrupção envolvendo a construção da Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, e outras empresas como a Transpetro, subsidiária da Petrobras. Também estão sendo cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Participam da operação auditores da Receita Federal.

De acordo com a Polícia Federal (PF), estão sendo investigados os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro decorrentes do pagamento de vantagens indevidas. Entre os suspeitos de receber propina está também o ex-senador Edison Lobão, que foi ministro de Minas e Energia de 2011 a 2014.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), os suspeitos teriam recebido R$ 50 milhões de propina da Odebrecht entre 2008 e 2014. Mais 40 contratos estão sendo investigados nesta fase da Lava Jato.

O dinheiro, segundo o MPF, era entregue em espécie a um escritório de advocacia ligado à família Lobão, localizado no Rio de Janeiro. A investigação mostrou que os recursos eram lavados por meio da compra e venda de obras de arte e de imóveis, da simulação de empréstimos familiares e da movimentação de valores em contas abertas em nomes de empresas offshore.



Globo Rural conhece cafés especiais de Triunfo em pleno Sertão do Pajeú
Autor
Adriano Roberto

Globo Rural conhece cafés especiais de Triunfo em pleno Sertão do Pajeú

Uma equipe do Globo Rural, da Rede Globo, veio a Pernembuco conhecer a produção dos Cafés Especiais de Triunfo, no Sertão do Pajeú. 

Há expectativa de que o programa, com essa reportagem, vá ao ar no próximo domingo e depois fique disponibilizado nas TVs por assinatura do Grupo Globo.

O prefeito, João Batista, tem estimulado e divulgado o potencial do município de clima e condições favoráveis ao café orgânico sertanejo através da Secretaria de Agricultura e com o apoio do SEBRAE.

Ultrapassando fronteiras

Em julho deste ano o café especial produzido em Triunfo foi apresentado ao Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), em Fuzhou, na Província de Fujian, na China.

Buscando melhorias e acompanhamento no campo, o Sebrae/PE, UFRPE, IPA e Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural do Estado fecharam um convênio de cooperação científica em 2018.

A princípio, dez propriedades passam a ser monitoradas e participam de cursos e workshops. Ao longo deste ano a expectativa é de que o número de produtores pode chegar a 50.

Além das capacitações e monitoramento em campo, estão sendo oferecidos ainda cursos de gestão. Com informações do blog O Povo com a Notícia



Trump lembra decreto do dia nacional de oração nos EUA
Autor
Adriano Roberto

Trump lembra decreto do dia nacional de oração nos EUA

Uma nação unida em oração e solidariedade por todos aqueles que têm sofrido com os efeitos do furacão Harvey - que tem devastado grande parte do estado do Texas. É isso o que presidente dos Estados Unidos da America, Donal Trump disse que tem visto e lembrou que o mês de setembro, comemora o seu decreto como o dia nacional de oração há dois anos.

Segundo o presidente declarou com um pronunciamento oficial, este momento de intensa devastação no país tem sido também um tempo de forte união entre todos os cidadãos.

"Amigo ajudando amigo, vizinho ajudando vizinho, estrangeiro ajudando estrangeiro. Nós temos visto isso, talvez da forma mais vívida que em outros momentos, no Furacão Doria", destacou Trump ao ler seu pronunciamento para a imprensa na Casa Branca.

Trump destacou que uma promessa bíblica deve se manter viva nos corações dos americanos neste momento de dor.

"À medida que os esforços de resposta e recuperação continuam e, à medida que os americanos fornecem o alívio tão necessário para o povo do Texas e de Louisiana, lembramo-nos da promessa das Escrituras de que 'Deus é nosso refúgio e fortaleza, um socorro bem presente nas tribulações", continuou o pronunciamento.

"Eu convoco todos os americanos e igrejas em toda a nação para se juntarem em uma só voz de oração, enquanto buscamos nos reerguer e ajudar aqueles que sofrem com as consequências dessa terrível tempestade", acrescentou.

Oração

Trump também lembrou a importância da oração e como esta atitude serviu para reerguer a nação em seus momentos mais difíceis e convocou a nação a participar do dia nacional de oração, no domingo seguinte e também a manter este espírito de intercessão.

"Desde o início da nossa Nação, os americanos se juntaram em oração durante momentos de grande necessidade", disse.

"Eu convido todos os americanos a se juntarem a nós, enquanto continuamos a orar por aqueles que perderam membros da família e amigos, e por aqueles que estão sofrendo com esta grande crise", acrescentou.

O Dia Nacional de Oração se realizou em uma igreja episcopal, próxima da Casa Branca. O culto contou com a participação de pastores que lideram igrejas do Texas, como Robert Jeffress. Ao final do pronunciamento, os pastores presentes oraram pela vida do presidente.



Agronegócio levanta bandeira brasileira no 7 de setembro de Petrolina
Autor
Adriano Roberto

Agronegócio levanta bandeira brasileira no 7 de setembro de Petrolina

A troca de emails e mensagens de WhatsApp  e a publicação de fotografias destacando a bandeira nacional nas redes sociais e nas fazendas produtoras de frutas do Vale do São Francisco, marcaram este 7 de setembro em Petrolina- PE. Vestindo as cores verde e amarelo e hasteando a bandeira na porta das propriedades e em meio aos pomares, os produtores começaram a mobilização logo no início da Semana da Pátria.

À frente da campanha, o Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), estima uma participação em torno de 85% dos 3 mil produtores de frutas em atividade no município. "Tivemos uma participação efetiva, tanto das lideranças como das equipes de trabalho nas fazendas. 

O entusiasmo e a vontade de mostrar a união do setor fez dessa semana uma demonstração de força e da capacidade de mobilização do agronegócio brasileiro", ressaltou o presidente da entidade, Jailson Lira.

Segundo a produtora de uva de mesa, Georgia Deon, a oportunidade  também foi importante para dar visibilidade ao dia a dia da agropecuária brasileira. "Somos um segmento que trabalha de sol a sol, geramos renda, empregos e uma parcela significativa do desenvolvimento do Vale do São Francisco e do Brasil. Merecemos respeito", asseverou

.

A fruticultura é considerada uma das atividades mais dinâmicas da economia brasileira com uma produção de aproximadamente 40 milhões de toneladas anuais e uma área plantada em torno de 2,5 milhões de hectares, movimentando mais de 10 bilhões de reais e gerando em torno de 5 milhões de empregos diretos.

A campanha de hasteamento da bandeira nacional na porta das fazendas,  foi idealizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA,  a partir de um chamamento da Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que convocou em vídeo: "Vamos mostrar para o mundo que o agronegócio brasileiro é unido, que a nossa agricultura é pujante e sustentável".

 Ainda segundo informes do SPR,  o sindicato continua registrando as participações durante todo o final de semana e na próxima segunda-feira(9) faz uma reunião de avaliação com a diretoria.



Estamos no Congresso Nacional para o Ponto de Vista Itinerante desta semana
Autor
Adriano Roberto

Estamos no Congresso Nacional para o Ponto de Vista Itinerante desta semana

Já estamos a postos no Congresso Nacional para mais uma semana de trabalho nos bastidores da notícia política. Chegamos no final de semana e já conferimos a grande repercussão que deu por aqui, pelo Planalto Central, o desfile de 7 de setembro de sábado. Para o brasilienses foi uma comemoração há muito tempo não vista no Destrito Federal. 

A movimentação de pessoas que compareceram às arquibancadas na Explanada dos Ministérios foi muito maior que o esperado e o presidente Jair Bolsonaro soube chamar atenção quebrando protocolos várias vezes e se aproximando muito dos populares. Para os institutos de pesquisa que apontam grande impopularidade do presidente esse evento foi um motivo de desconfiança na credibilidade desses números.

Nesta segunda vamos iniciar os trabalhos nos salões e nas comissões do Congresso. Duas comissões acontecem fora do prédio da Câmara. A primeira no Rio Grande Sul com o tema: O papel estratégico dos Correios como Empresa Pública. que será na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul

O requerimento nº 49/19  foi de autoria dos Deputados Leonardo Monteiro (PT/MG) e Maria do Rosário (PT/RS). A pauta trata da importância dos Correios como empresa pública mostrando as consequencias da privatização do órgão. A segunda comissão trata dos Impactos da Obra do Contorno do Mestre Álvaro para a Serra, no Espirito Santo e acontece na Câmara Municipal da Serra. Acompanhe nosso trabalho direto de Brasília também pelo Facebook - facebook.com/adriroberto11.



Em live, Bolsonaro defende escolha de Aras para a PGR
Autor
Adriano Roberto

Em live, Bolsonaro defende escolha de Aras para a PGR

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou a sua live semanal no Facebook, na noite desta quinta-feira (5), para defender a indicação do subprocurador-geral Augusto Aras para comandar a Procuradoria Geral da República (PGR). A indicação foi formalizada mais cedo pelo presidente.  

Ao mencionar as críticas que tem recebido de parte de seus eleitores, por causa da escolha, Bolsonaro reforçou que o indicado tem compromissos em diferentes áreas de atuação. "Não basta apenas ter alguém lá que combata a corrupção. Tem que combater a corrupção? Tem. Mas tem também que ser sensível às outras questões", disse. Assista abaixo:

 

O presidente disse que a questão ambiental teve um peso na escolha do nome. "Vamos supor que a gente bote alguém lá que não pode ver uma vara de bambu sendo cortada que já processa todo mundo. Como é que ficaria alguém que tivesse uma visão muito radical na questão ambiental? Como é que ficaria o agronegócio no Brasil?", acrescentou Bolsonaro.

Para o presidente, alguém com uma visão, segundo ele, "radical" sobre o meio ambiente também poderia comprometer projetos de infraestrutura no país.  "Quantas vezes você teve conhecimento, e ainda no momento, [quando] você quer rasgar uma estrada e entra o Ministério Público alegando as condições ambientais, dificulta e aquela estrada leva 5, 6, 10, 15 anos ou não sai?", indagou.

Bolsonaro pediu que seus apoiadores deem uma chance e aguardem o desempenho do futuro PGR antes de fazerem juízo de valor sobre a escolha. "Dá uma chance para mim. Você acha que eu quero botar alguém lá para atrapalhar a vida do Brasil?".

Abuso de autoridade

Participaram da live ao lado do presidente os ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança Pùblica), Wagner Rosário (Transparência e Controladoria Geral da União), Jorge Oliveira (Secretaria Geral da República) e André Mendonça (Advocacia Geral da União). Cada um deles se alternou em defesa dos vetos presidenciais, anunciado hoje, ao projeto de lei sobre abuso de autoridade. No total, o presidente vetou 36 dispositivos em 19 artigos da norma.

"A palavra final depende do Congresso. O que nós sancionamos, uma vez publicado, passa a ser lei. O que nós vetamos vai para apreciação do Congresso. Essa é a regra do jogo, sempre foi assim", destacou Bolsonaro. Para derrubar os vetos, o Congresso Nacional, em sessão conjunta da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, precisará de quórum qualificado, com maioria de 257 votos, contra cada um dos dispositivos. Se esse número de votos contrários não for atingido, o item vetado é mantido.   

Redes Sociais

Últimos Posts

Apoio


  • Ponto de Vista AO VIVO
  • Blog Edmar Lyra

  • Digite Google

Siga-me no Facebook