Blog do Adriano Roberto


Estatuto das Famílias é questionado e sai da pauta para ganhar novo parecer
Autor
Adriano Roberto

Estatuto das Famílias é questionado e sai da pauta para ganhar novo parecer

O projeto de lei que cria o Estatuto das Famílias do Século XXI foi retirado da pauta desta quarta-feira (21) da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. O projeto seria votado a partir das 14h, mas se tornou alvo de uma polêmica depois que deputados da PSL afirmaram que o texto normaliza o incesto, a poligamia e a pedofilia. Por isso, terá o parecer aprimorado pelo relator, o deputado Túlio Gadêlha (PDT-PE), que negou as críticas, mas preferiu apresentar um substitutivo para não deixar margens para dúvidas.

"O processo legislativo existe justamente para que os textos propostos passem pelo crivo do contraditório e sejam amadurecidos. Nesse sentido, comunico que retirei o PL 3.369/2015 da pauta, a pedido do relator, para aprimoramento de sua redação por meio da elaboração de substitutivo", informou o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Helder Salomão (PT-ES), após afirmar que o projeto "tem sido objeto, nas redes digitais, de interpretações distorcidas".

Apresentado pelo deputado Orlando Silva (PT-SP) em 2015, o projeto de lei 3369 visa ampliar o conceito de família para que o estado reconheça as diversas configurações familiares que existem hoje na sociedade. Informações do Congreso em Foco.



Argentina: Fernández e Kirchner divulgam abaixo-assinado pela libertação de Lula
Autor
Adriano Roberto

Argentina: Fernández e Kirchner divulgam abaixo-assinado pela libertação de Lula

Diversas lideranças de centro-esquerda da Argentina divulgaram na segunda-feira, 19, um manifesto em defesa da libertação do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato há 500 dias. Entre os signatários estão a ex-presidente argentina Cristina Kirchner e o candidato à presidência Alberto Fernández.
 
Fazem parte do abaixo-assinado também a líder das Avós da Praça de Maio Estela de Carlotto, o ex-ministro da Fazenda de Cristina Axel Kiciloff e o ex-candidato à presidência Sergio Massa, entre outros senadores, deputados, sindicalistas, professores, jornalistas e artistas.

Durante a campanha para as primárias, que venceu com uma vantagem de 15 pontos para o presidente Mauricio Macri e o cacifou para eleger-se nas eleições de outubro, Fernández visitou Lula na prisão em Curitiba e defendeu sua libertação.

Críticas de Bolsonaro

A proximidade de Fernández com Lula provocou críticas do presidente da República, Jair Bolsonaro, que desde as prévias tem associado o presidente argentino com outras lideranças de esquerda do Brasil e da América Latina, como Lula, a ex-presidente Dilma Rousseff, os venezuelanos Nicolás Maduro e Hugo Chávez e o ex-líder cubano Fidel Castro.

"Olha o que está acontecendo com a Argentina agora. A Argentina está mergulhando no caos. A Argentina começa a trilhar o rumo da Venezuela, porque, nas primárias, bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder", disse o presidente em Parnaíba, no Piauí, onde participava de cerimônia alusiva a um projeto de irrigação.

Bolsonaro defende a reeleição de Mauricio Macri, apesar de, segundo analistas, o apoio ao presidente argentino não ser bem visto no país vizinho em consequência das declarações favoráveis à ditadura militar feitas pelo presidente brasileiro.

A Argentina viveu entre 1978 e 1983 uma das ditaduras mais violentas do continente, com mais de 30 mil mortos e desaparecidos.

Resposta a Bolsonaro

Fernández respondeu ao presidente brasileiro na semana passada. "Com o Brasil, teremos uma relação esplêndida. O Brasil sempre será nosso principal sócio. Bolsonaro é uma conjuntura na vida do Brasil, como Macri é uma conjuntura na vida da Argentina", disse Fernández em uma entrevista ao programa "Corea del Centro", da emissora Net TV.

"Agora, em termos políticos, eu não tenho nada a ver com Bolsonaro. Comemoro enormemente que fale mal de mim. É um racista, um misógino, um violento... O que eu pediria ao presidente Bolsonaro é que deixe Lula livre e pediria que se submeta a eleições com Lula em liberdade", acrescentou.



Haddad é condenado por crime de caixa dois
Autor
Adriano Roberto

Haddad é condenado por crime de caixa dois

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad foi condenado em primeira instância pela Justiça Eleitoral por crime de caixa dois na campanha à administração municipal em 2012. Da decisão cabe recurso.

A sentença foi proferida no último dia 19. O juiz Francisco Carlos Inouye Shintate determinou pena de "quatro anos e seis meses de reclusão, e 18 dias-multa, cada um no valor de 1 salário-mínimo vigente na época do fato".

Esta é a primeira vez que o petista, que foi candidato à Presidência da República em 2018, é condenado em ação judicial.

O processo nasceu de apuração que visava identificar o uso de recursos da empreiteira UTC na confecção de material de campanha para prefeito de São Paulo, em 2012.

Além de Haddad, foram condenados pelo crime de caixa dois o contador da campanha do petista em 2012 Francisco Macena; o ex-deputado estadual e empresário de gráficas Francisco Carlos de Souza, conhecido como "Chicão"; e o empresário do setor gráfico Ronaldo Cândido. Cândido e Souza também foram condenados pelos crimes de quadrilha e lavagem ou ocultação de bens.

O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto foi condenado a dez anos de reclusão por quadrilha e lavagem.A investigação teve como base inicial delações da Lava Jato, cujos indícios foram cruzados com planilhas do PT encontradas posteriormente nas apurações da Operação Custo Brasil.

Na Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef, Ricardo Pessoa e o ex-diretor financeiro da UTC Walmir Pinheiro apontaram um homem apelidado de "Chicão" como destinatário de R$ 2,6 milhões em propina da Petrobras para pagar dívidas da campanha de 2012 de Haddad.

Em depoimento à Lava Jato em julho de 2015, Youssef afirmou que realizou os repasses para "Chicão" a pedido de Ricardo Pessoa. Posteriormente, Pessoa também fechou acordo de colaboração e confirmou as transferências. O valor, segundo ele, seria descontado da "conta corrente" de propinas devidas ao PT, abastecida com desvios da Petrobras. Pessoa disse que "Chicão" foi indicado por Vaccari como destinatário dos valores.

Na sentença, o magistrado absolve Haddad de outras acusações, como formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. "Levei quatro anos da minha vida para provar que o Ricardo Pessoa [ex-presidente da UTC] havia mentido na delação dele. O juiz afastou essa acusação. E o que ele fez? Me condenou por algo de que não fui acusado", afirmou Haddad, que é colunista da Folha de S.Paulo.

Segundo o ex-prefeito, o juiz reconhece na decisão que não há como condená-lo pela suspeita lançada por Pessoa. "Todas as testemunhas que escalamos mostram que a acusação do delator era falsa", diz.Mas então, ainda segundo o petista, "o juiz afastou a primeira acusação e me condenou por algo que não estava no processo: por ter declarado serviços na minha prestação de contas que não foram prestados. O inverso da denúncia original".

"Esse nunca foi o objeto da ação, nunca fui chamado a responder essa questão, nenhuma das testemunhas foi questionada sobre isso. Eu não consigo entender." Haddad afirma que sofre há quatro anos os efeitos da acusação que foi afastada pelo juiz eleitoral. "Agora vou sofrer mais dois. E a repercussão na minha vida? No meu ganha-pão? Na vida da minha família? Vou eu agora explicar que fui condenado por algo de que não fui acusado. Como aguentar isso?"

Em nota, a defesa do ex-prefeito informou que vai recorrer da decisão da 1ª Vara Eleitoral "em primeiro lugar porque a condenação sustenta que a campanha do então prefeito teria indicado em sua prestação de contas gastos com material gráfico inexistente. Testemunhas e documentos que comprovam os gastos declarados foram apresentados".

"A lei estabelece que a sentença é nula quando condena o réu por crime do qual não foi acusado. Em um Estado de Direito as decisões judiciais devem se pautar pela lei. O magistrado deve ser imparcial. Ao condenar alguém por algo de que nem o Ministério Público o acusa, o juiz perde sua neutralidade e sua sentença é nula", finaliza a defesa. Com informações da FolhaPress.



Prefeitura de Chã Grande abre concurso com 100 vagas variadas
Autor
Adriano Roberto

Prefeitura de Chã Grande abre concurso com 100 vagas variadas

Tem início nesta sexta-feira, dia 23 de agosto, a abertura das inscrições para o concurso público da Prefeitura de Chã Grande, estado de Pernambuco. A nova seleção busca preencher 100 vagas, além de formar cadastro reserva em empregos de todos os níveis de formação escolar na prefeitura.

O concurso será organizado e coordenado pelo IDHTEC - Instituto de Desenvolvimento Humano e Tecnológico, e o edital destina 5% das vagas para os candidatos portadores de deficiência.

O edital tem vagas para cargos de Enfermeiro , Fisioterapeuta, Médico Anestesista, Médico Cirurgião Geral, Médico Cirurgião Obstetra, Médico Clínico Geral, Médico Ginecologista Obstetra, Médico Ortopedista, Médico Psiquiatra, Professor de Educação Física, Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, Professor de Letras, Professor de Matemática, Agente Administrativo, Motorista "D", Operador de Máquinas, Técnico de Enfermagem, Vigia,  Agente Comunitário de Saúde e Serviços Gerais. Os salários variam de acordo com o cargo e a sua jornada de trabalho, entre R$ 998,00 e R$ 10.000,00.

Inscrição
As inscrições devem ser realizadas das 08 horas do dia 23 de agosto até as 23h59min do 24 de setembro de 2019, no sitio da organizadora: www.idhtec.org.br. A taxa de inscrição será de R$ 60,00 para nível fundamental, R$ 75,00 para nível médio e R$ 95,00 para vagas de nível superior. Você também fazer no Prédio da CHAINFFOR, na Av. São José, 85, Centro, Chã Grande, no horário das 08h as 12h e das 13h30min as 18h.

Provas de Chã Grande-PE em outubro
Os inscritos no concurso passarão por prova escrita/objetiva e haverá ainda prova de títulos para cargos de nível superior. A prova escrita será aplicada a todos os candidatos no dia 20 de outubro de 2019, no horário das 09h às 12h ou das 14h às 17h. A etapa terá 40 questões sobre conteúdos de Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos.

Os cadernos de provas também estarão disponíveis, no site www.idhtec.org.br, juntamente com a divulgação dos gabaritos oficiais preliminares, no dia 21 de outubro. Os candidatos poderão apresentar os documentos para a prova de títulos no período de 20 a 22 de novembro de 2019.

O prazo de validade do concurso será de dois anos a contar da data da homologação de seu resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período, a critério da Administração Municipal.

INSCRIÇÕES clique aqui

EDITAL clique aqui



Projetos que destrói a família convencional vai a voto amanhã na CDH da Câmara
Autor
Adriano Roberto

Projetos que destrói a família convencional vai a voto amanhã na CDH da Câmara

A deputada Carla Zambeli (PSL-SP) denuncia o projeto que destrói a família convencional que está para ser votado amanhã na Comissão de Direitos Humanos, da Câmaa dos Deputados. 

"O projeto 3.369/2015 do Deputado Orlando Silva do PCdoB propõe um novo formato de família, que pode ir da homoafetiva, passando pela poliamorosa e independente de consanguinidade. Por esta regra estariam regulamentados “casamentos” que podem incluir, por exemplo, um pais com seu filho, o pai com a filha, mãe com a filha, mãe com um filho, ou qualquer combinação entre pais e filhos". Afima a deputada.

"Mas pode ser ainda mais amplo, incluindo mais pessoas de dentro ou de fora da família, com infinitas possibilidades como casamento do pai várias filhas, filhos e outras pessoas de fora da família, mãe com filhos, filhas e outras pessoas de fora, pessoas de outros parentescos como avós, tios, enteados/enteadas etc". Completa Carla.

Ainda de acordo com Zambeli o relator Túlio Gadelha afirmou que concorda com o projeto e já elaborou seu voto favorável, para esta quarta-feira, 21/08 na Comissão de Direitos Humanos.



Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos
Autor
Adriano Roberto

Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos

Desde que assumiu a presidência do Senado - o que o torna também presidente do Congresso -, em fevereiro deste ano, ele vem se recusando a atender pedidos feitos pela Lei de Acesso à Informação (LAI) para que seu gabinete informe gastos com a verba parlamentar. Com o dinheiro, é possível pagar despesas com passagens, serviços postais, manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar, hospedagem, combustível, entre outros.

O setor de Transparência do Senado se negou a responder 45 pedidos de informações nos seis primeiros meses de 2019. Desse total, 20 eram referentes a gastos de gabinete de diversos senadores. Os relatórios mostram que, na comparação com o mesmo período dos dois últimos anos, triplicou o número de pedidos de acesso à informação negados pelo Senado. A assessoria da presidência da Casa afirma, no entanto, que "nenhum pedido foi negado", o que contraria relatórios disponíveis no seu próprio site.

As reiteradas negativas aos pedidos para que Alcolumbre revele suas notas fiscais estão sendo questionadas pela Justiça Federal, Ministério Público e Tribunal de Contas da União (TCU), órgão responsável por fiscalizar o Poder Legislativo. O processo judicial está mais adiantado.

Em abril, o advogado Marco Tulio Bosque entrou com ação popular contra Alcolumbre na 1.ª Vara da Justiça Federal em Uberlândia (MG) para cobrar a divulgação das notas fiscais. Ainda no dia 20 daquele mês, o juiz Lincoln Rodrigues de Faria acatou o pedido e determinou a quebra do sigilo. O senador recorreu por meio da Advocacia-Geral do Senado, que destacou três defensores para o caso. Enquanto isso, os dados continuam em segredo.

Na ação, Bosque argumenta que a decisão do presidente do Senado de impor o sigilo de suas contas viola o princípio da publicidade, da razoabilidade, da proporcionalidade e da transparência, além de impossibilitar o controle de "legalidade e legitimidade dos atos e gastos do erário público".

À Justiça, o Senado pede que Alcolumbre não seja obrigado a divulgar suas notas. Justifica, ainda, que essas informações passaram a ser publicadas no site institucional do Senado desde o mês passado. Os dados, porém, não são retroativos. Ou seja, todas as notas fiscais reembolsadas de junho para trás serão mantidas em segredo para sempre.

Alcolumbre, por exemplo, ingressou no Senado em 2015. O ato que ele assinou impede o acesso à comprovação de seus gastos nos últimos quatro anos. Ao longo do mandato, por exemplo, o senador gastou R$ 800 mil da sua cota parlamentar em três pequenas gráficas de Brasília, embora o Senado tenha uma gráfica própria. Como o gasto foi realizado antes de julho, as notas continuarão inacessíveis.

A assessoria de Alcolumbre justifica que a publicação das notas só ocorreu a partir de julho porque a Casa precisava de tempo hábil para preparar o programa que inseriu os documentos no site. "Foi o tempo necessário para construção e testes do programa, pelo Senado Federal (Prodasen), para disponibilização das notas como ocorre na Câmara dos Deputados. Desde que assumiu a presidência foi uma das primeiras providências do presidente", afirmou a assessoria.

Transparência

Até então integrante do chamado baixo clero da Casa, Alcolumbre foi eleito presidente do Senado em fevereiro, quando derrotou o senador Renan Calheiros (MDB-AL) defendendo o voto aberto, a transparência e o fim da "velha política". Meses depois foi justamente o "velho Renan" quem socorreu Alcolumbre. Para negar acesso retroativo às suas notas fiscais, o senador se baseou num ato assinado quando o emedebista presidia a Casa destacando que a publicidade implicava a quebra de sigilo e caberia apenas a cada parlamentar a decisão de divulgá-las.

Com a decisão de Alcolumbre de impedir acesso aos dados de seus gastos, o Senado entrou na contramão de outros órgãos, como a Câmara dos Deputados, que divulga no seu portal na internet cópias das notas fiscais desde 2014 e fornece dados retroativos quando solicitado por meio da Lei de Acesso à Informação, independentemente da vontade do deputado.

Para tentar convencer a Justiça a desobrigar a divulgação das notas fiscais retroativas, a Advocacia-Geral do Senado informou que a "determinação da divulgação geral e irrestrita das imagens demandaria a avaliação de centenas de documentos e da mobilização de diversos profissionais (trabalho excessivo), ante a necessidade de se avaliar a existência de algum dado sigiloso".

Em outro trecho, os advogados alegam que "as informações pretendidas já constam do Portal da Transparência do Senado Federal". Ao visitar a página em questão, no entanto, no período que antecede a julho deste ano, é possível ter acesso apenas a um resumo desses gastos. Em todos os casos, o senador declara apenas o CNPJ da empresa e o valor do produto ou serviço.

Como deputado, despesa de R$ 525 mil com carros

Ao contrário do Senado, a Câmara dos Deputados divulga as cópias das notas fiscais apresentadas pelos atuais e ex-deputados independentemente da vontade deles. Por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), a Casa repassou ao Estado 36 notas fiscais do período em que Davi Alcolumbre (DEM-AP) era deputado federal, emitidas entre 2010 e 2013.

Todas elas têm o mesmo CNPJ de um hotel modesto do bairro de Santa Rita, em Macapá, reduto eleitoral do atual presidente do Senado. O estabelecimento está registrado como HG Mendes e funciona com a marca fantasia Mais Hotel. O espaço ainda abriga uma pequena locadora de veículos.

Somadas, as notas custaram à Câmara a quantia de R$ 525 mil com aluguel de veículos, tudo devidamente pago com a cota parlamentar do então deputado. De toda a papelada, 31 notas têm o valor individual de R$ 15 mil e outras seis notas têm o custo de R$ 10 mil.

Durante um período de seis meses, entre julho e dezembro de 2010, Alcolumbre chegou a alugar quatro carros de uma só vez. Nessa época, o político foi reeleito deputado federal e estava em campanha eleitoral em seu Estado. Por meio de sua assessoria, Alcolumbre confirmou que as notas se referem ao aluguel de quatro veículos, mas diz que eles serviram para atividades do escritório político.

"Estes percorreram o Estado do Amapá, especialmente nas tratativas de demandas dos municípios ante à questão orçamentária e outros assuntos de interesse coletivo, como o endividamento de cada um deles perante à União. Temos os contratos. Seguramente, não foram utilizados em atividades eleitorais. Os que foram utilizados na campanha eleitoral de 2010 constam da prestação de contas", informou.

Os gastos de Alcolumbre no hotel não cessaram quando ele deixou a Câmara. Entre 2015 e 2019, já senador, ele pediu ressarcimento de R$ 312 mil. Somado o tempo de Câmara e Senado, o parlamentar desembolsou pelo menos R$ 837 mil do dinheiro da cota parlamentar nesse local. Cada senador do Amapá tem direito a R$ 42 mil mensais em verba indenizatória. Não é possível saber, do período de Senado, o motivo dos gastos (se foi com estadia ou com aluguel de carros, por exemplo), já que, por ordem do próprio presidente da Casa, esses documentos permanecem sob sigilo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Luciano Huck e dono das Casas Bahia na lista da caixa preta do BNDES
Autor
Adriano Roberto

Luciano Huck e dono das Casas Bahia na lista da caixa preta do BNDES

Em nota divulgada em seu site, o BNDES destacou que a linha de crédito para a compra de jatinhos da Embraer foi criada em 2009, como parte do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Nessa linha eram cobrados juros inferiores à taxa básica de juros, a Selic - de 2,5% ao ano a 8,7% ao ano.

"O custo estimado para o Tesouro Nacional com o subsídio dessas operações foi de R$ 693 milhões em valores corrigidos", diz a nota do BNDES. O banco informou ainda que as operações foram do tipo indiretas automáticas, uma modalidade de financiamento em que os recursos do BNDES são repassados aos clientes finais por meio de bancos intermediários, que, por sua vez, são os responsáveis pela análise de risco e contratação da operação de crédito.

Outro lado

Em resposta, a secretaria de Comunicação do governo de São Paulo informou em nota que não há irregularidade no financiamento obtido por João Doria. "A Embraer vendeu dezenas de jatos executivos e comerciais para empresas brasileiras e estrangeiras com financiamento do BNDES, gerando empregos e impostos para o Brasil. Nada errado nisto", diz a nota.



Sequestrador de ônibus no Rio é morto por atiradores de elite
Autor
Adriano Roberto

Sequestrador de ônibus no Rio é morto por atiradores de elite

O porta-voz da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro, coronel Mauro Fliess, confirmou que o sequestrador que fez 37 reféns no início da manhã, em um ônibus na Ponte Rio-Niterói, foi morto por atiradores de elite.

Tiros foram ouvidos no local por volta das 9h. Pelo Twitter, a PM informou que a ocorrência foi encerrada sem vítimas entre os reféns. “O tomador de refém foi neutralizado por um atirador de precisão do #Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] e todos os reféns foram libertados ilesos” postou a corporação.

O sequestro começou pouco antes das 6h e interditou a ponte nos dois sentidos. Até as 9h, o sequestrador havia liberado seis reféns. Segundo as primeiras informações, ainda não confirmadas, o sequestrador estava armado e se identificou como policial militar. A polícia disse que a arma usada por ele era um simulacro, ou seja, de brinquedo.

A ponte permanece interditada.



Congresso da União do Vereadores acontece na cidade de Triunfo
Autor
Adriano Roberto

Congresso da União do Vereadores acontece na cidade de Triunfo

União de Vereadores de Pernambuco – UVP chega ao sertão pernambucano para realizar, na cidade de Triunfo, no período de 22 a 25 de agosto, o Congresso de Vereadores(as), Servidores(as) de Câmaras Municipais e Prefeituras.

O evento contará com grandes nomes do cenário político pernambucano e eles serão responsáveis por conduzir debates sobre “A participação da Mulher na Política”, “Articulação Política versus Nova Política”, “A PEC das Emendas Impositivas e o FEM em Pernambuco”, “Novas regras para as Eleições 2020”, “Digitalização e Virtualização no Setor Público” e ainda “A Harmonia e Independência entre os poderes Legislativo e Executivo”

O Congresso será realizado no auditório do Hotel Sesc Triunfo, localizado na rua Antônio Henrique da Silva, S/N, no bairro de São Cristovão. As inscrições podem ser realizadas através do telefone da UVP - (81) 3228.6465

BAIXE AQUI A PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO

 


Site do PSDB é hackeado e exibe foto de Lula e Dilma na capa
Autor
Adriano Roberto

Site do PSDB é hackeado e exibe foto de Lula e Dilma na capa

O site oficial do PSDB ficou fora do ar durante parte da noite do domingo 18 e da madrugada desta segunda, após um hacker invadir a página e trocar a capa por uma uma foto dos petistas Lula e Dilma.

Abaixo da imagem, o invasor publicou a frase: “O tempo passa, os dias ficam mais chatos e algumas pessoas mais ignorantes”.

A página voltou ao ar nas primeira horas desta segunda-feira.



Agropecuária nordestina ganha plano de ação para o seu desenvolvimento
Autor
Adriano Roberto

Agropecuária nordestina ganha plano de ação para o seu desenvolvimento

A agropecuária nordestina tem a partir de hoje (19) um instrumento importante para o seu desenvolvimento. A Portaria 164, de 16 de agosto, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, estabelece no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento o Plano de Ação para o Nordeste (AgroNordeste).

O AgroNordeste vai apoiar a organização das cadeias agropecuárias da região para ampliar e diversificar os canais de comercialização, “atuando com pertinência social, ambiental e econômica e buscando aumentar a eficiência produtiva e o benefício social”.

De acordo com a portaria, o plano trabalhará também na identificação de obstáculos que travam a competitividade de setores da agropecuária nordestina com potencial de crescimento e apoiar a melhoria dos sistemas produtivos, do beneficiamento e do processamento de produtos.

O AgroNordeste trabalhará também no acesso dos produtores a crédito, assistência técnica e tecnologias, objetivando o desenvolvimento de produtos com maior valor agregado e de estratégias de convivência com a seca.



Vereador de Flores concerta omissão do prefeito no pedido urgência da PE 337
Autor
Adriano Roberto

Vereador de Flores concerta omissão do prefeito no pedido urgência da PE 337

O vereador Onofre de Souza cobriu o silêncio gritante do prefeito, Marconi Santana, de Flores e pediu ao governador Paulo Câmara a urgência para tapar os buracos da PE 337, que liga Sítio dos Nunes à sede da cidade.

Ao que deu para perceber Marconi soube levar uma claque para aplaudi-lo no evento Todos Por Pernambuco, em Serra Talhada (a exemplo do que fez também Luciano Duque de Serra), mas não foi capaz de reivindicar solução para este grave problema na estrada mais importante do município. Veja o relato do vereador Onofre.

"Na sexta-feira, 16 - após o Seminário Todos por Pernambuco, em Serra Talhada, Sertão do Pajeú, tive a oportunidade de me reunir com o governador Paulo Câmara, o deputado federal Sebastião Oliveira e com o deputado estadual Fabrizio Ferraz.

Durante o almoço na casa de Sebatião Oliveira, apresentei ao governador e aos deputados algumas demandas urgentes da nossa região. Na ocasião, pedi uma atenção especial para a PE -337, que liga o Sítio dos Nunes a Flores, que precisa de um reparo asfáltico efetivo, instalação de sinalização e um acostamento seguro para quem trafega pela rodovia.

Saio desse encontro certo de que, com o apoio do governador Paulo Câmara, do deputado Fabrizio Ferraz e do deputado Sebastião Oliveira, a questão da PE-337 será resolvida e muitas outras ações chegarão em breve ao nosso município."

Redes Sociais

Últimos Posts

Apoio


  • Ponto de Vista AO VIVO
  • Blog Edmar Lyra

  • Digite Google

Siga-me no Facebook