21 Março 2021
Ao menos 78 cidades preveem escassez de oxigênio no Brasil; Brejo e Ibimirim na lista

Ao menos 78 cidades preveem escassez de oxigênio no Brasil; Brejo e Ibimirim na lista

Um levantamento da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) apontou que o oxigênio para pacientes com covid-19 está prestes a acabar em pelo menos 78 municípios. Em Pernambuco, são duas cidades: Brejo da Madre de Deus, no Agreste e Ibimirim , no sertão.

A entidade enviou questionários a 2.500 das 5.570 prefeituras. Os dados divulgados foram colhidos pelas 574 prefeituras que responderam ao questionário entre 5ª feira (18.mar.2021) e 6ª feira (19.mar).

Como o levantamento é parcial, o número de municípios com escassez do gás pode ser ainda maior.

Em 12 de março, representantes da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química) e empresas de produção e envase de oxigênio tiveram uma reunião com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e afirmaram que a situação de oferta de oxigênio hospitalar é preocupante no Brasil.

A região Norte é a que enfrenta maior risco. Na reunião do dia 12, foi informado que os Estados do Acre e de Rondônia teriam estoque de oxigênio apenas mais 13 dias, ou seja, até 24 de março.

A situação do Norte do país se agravou em janeiro de 2021, quando o sistema de saúde de Manaus, no Amazonas, colapsou, em parte por causa do avanço da variante brasileira do coronavírus, mais infecciosa, mas principalmente pela falta de oxigênio.

A risco de faltar oxigênio nos hospitais levou a Anvisa a decidir monitorar a produção e distribuição do gás.

Agora, empresas fabricantes, envasadoras e distribuidoras de oxigênio medicinal devem fornecer, semanalmente, informações sobre a capacidade de fabricação, envase e distribuição, estoques disponíveis e quantidade demandada pelo setor público e privado. Informações do site Poder 360.