26 Fevereiro 2021
Indústria de polpa cearense quer encurtar aproximação com agricultores de Petrolina

Indústria de polpa cearense quer encurtar aproximação com agricultores de Petrolina

A presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf), Isália Damacena, anunciou nesta sexta-feira (26) que o Sindicato das Indústrias de Alimentos do Ceará confirmou o interesse de criar uma maior aproximação entre os produtores da região e empresas cearenses.  A sindicalista participou da reunião que firmou o acordo na quinta-feira (25) e, segundo as duas entidades, a iniciativa deve acabar com a ‘figura’ do atravessador.

De acordo com o presidente do Sindialimentos, André Siqueira, apenas no Ceará existem 30 empresas de polpa de frutas interessadas na comercialização direta com os agricultores petrolinenses. “A nossa vinda à Petrolina foi para nos apresentar, abrir essa possibilidade de encurtar o contato entre o produtor e a indústria, para que possamos comprar melhor e o agricultor vender melhor também”, disse.

Uma relação de agricultores, identificando os produtores, tipos de culturas, volumes e disposição, será feita pelo Sintraf e entregue ao Sindialimentos. A partir disso, são esperadas conversas de alto nível para a organização das compras e transporte interestadual.

“Essa parceria tem potencial para melhor não só a compra e venda, mas também a logística e o valor agregado para todos, seja agricultor ou empresário”, comenta Isália. “Até porque nós produzimos praticamente todas as frutas que as indústrias do Ceará estão demandando: a manga, acerola, uva, goiaba, acerola, caju, maracujá [...]”, finaliza.

A comitiva cearense é formada ainda pela diretora do Instituto Nacional do Semiárido, Mônica Tejo, e o diretor de planejamento e articulação de políticas da SUDENE.